Bye bye

Depois de um mês de janeiro para se esquecer, em que perdi um tio, mudou tudo no meu emprego e aconteceram várias tragédias que, pelo sim e pelo não, a gente acaba se solidarizando, vai mudar tudo na minha vida. Mais uma vez.
A partir deste dia 01 de fevereiro, São Paulo é minha nova casa. Mudo-me de mala e cuia para essa grande metrópole de sonhos, oportunidades e problemática.
Quem me conhece sabe o quanto queria sair de Guarujá, pois não agüento mais essa cidade e, depois da venda do jornal, era uma questão de tempo e paciência para arrumar algo.
Começo na WCA, empresa de consultoria empresarial, já nesta quinta.
Por enquanto, ficarei vindo a Guarujá para ir buscando as coisas, até dar um kick semi-definitivo neste lugar.
Digo semi-definitivo, pois tenho a convicção que essa cidade só presta para turista e, vou ver, se vivo como turista agora.
Desejem-me sorte.

Resistência

Hoje promete ser daqueles longos dias .

Vou para São Paulo, todo social (coisa que odeio) e num calor de fazer beduíno pedir água. Para ficar mais divertido, estou com um par de sapatos que juraram meus pés de morte. Antes eles falaram que iriam torturá-los até os mesmos não agüentarem mais.

Nem saí de Guarujá (Mordor, para os íntimos) e já está doendo para cacete.

Torçam para meus pés agüentarem.

Faltou a Joelma

Cientistas listam os sons mais horríveis do mundo

Obs 1: Chamar o “Hugo” não me irrita tanto assim. O que incomoda é o dia seguinte.

Obs 2: Um bebê incomoda muita gente, vários bebês incomodam muito mais.

Obs 3: Se a discussão da novela incomoda tanto, por que assistem?

Obs 4: O Taz não é tão chato assim. O barulho dele é legal.

Obs 5: Toques de telefone celular realmente incomodam, principalmente dos malditos funkeiros de meu bairro, que acham que estão abafando ouvindo o dito cujo no máximo.

Obs 6: Quanto será que ganha a pessoa que faz essas pesquisas?

E a novela continua

Parece que as coisas estão se resolvendo. Não sei a que ritmo, mas estão.

Infelizmente, ainda há muita coisa indefinida nessa coisa que eu chamo de minha vida. E pensar que, até semana passada, eu havia feito um planejamento de dois anos do que fazer e do que não fazer durante esse período.

Bem feito. Assim aprendo a não me planejar tanto e criar saídas estratégicas, caso algo dê errado.

Enquanto isso, vou me atualizando vendo de tudo em casa. De desenhos, séries e filmes a animes, novelas e documentários.

Só a internet faz falta.

Paciência

Meus cinco leitores (acho que são leitoras rs) do blog.

Por conta da falta de PC em casa (os dois estão quebrados), de dinheiro para lan house e falta de PC no trabalho (por não ter mais trabalho), as postagens serã em número reduzido.

Como é promessa de ano novo, não abandonarei o blog.

Prometo que, quando as coisas normalizarem, vou colocar novidades no blog e tudo voltará ao normal.

Só espero que não me abandonem. rs

Aguardem