Novidades – Feed

Como podem verificar ao lado, o blog agora possui conteúdo Rss.

Mesmo, depois de milhares de explicações, ainda não entendi bem o que é isso, mas como todos falaram que é importante para todos saberem quando há conteúdo novo, aí está.

Acredito que se a pessoa quer saber sobre coisas novas basta ela entrar no blog, mas com toda a praticidade da internet em formar pessoas sedentárias e preguiçosas que economizam até em cliques, parece que isso é de extrema utilidade.

Como podem ver, o blog vai mudando e acrescentando coisas novas aos poucos, por isso é importante saber se as mudanças estão agradando ou não. Então manifestem-se nos comentários.

Ps: Sei que as postagens estão rareadas, mas estou cheio de trabalho e em casa com esse frio não há estímulo que resista a dedos congelados, mas aguardem que logo posto algo novo.

Formatura em Mococa

Aos navegantes que visitam este humilde espaço.

Neste fim de semana estarei em Mococa, visitando a família, participando de uma festa de formatura e aniversário.

Menos de um mês depois de passear em Goiás, já embarco em outra. Caso arrume um PC decente, atualizarei o blog e contarei o que acontecer de estranho ou fantástico durante a viagem.

Bom fim de semana a todos.

Bolão Brasileiro 2007 – Palpites 15ª Rodada

Como daqui a pouco tenho que ir e não sei se conseguirei postar alguma coisa para onde vou, seguem os palpites da rodada de fim de semana:

Grêmio 2 x 0 Atlético-PR. Sem sustos.

Vasco 1 x 2 Goiás. Vasco ferido e Goiás recuperando a confiança.

Santos 4 x 1 Náutico-PE. Fora o baile.

Paraná Clube 1 x 1 Atlético-MG. Empate desagradável para ambos.

Corinthians -1 x -1 Flamengo. Pelo nível poderia ser assim, mas será 0 X 2 Mengo.

Sport 2 x 0 Internacional. Na Ilha o Sport manda.

Juventude 1 x 2 Palmeiras. De grão em grão.

Cruzeiro 1 x 1 Botafogo. Dando uma de Frank, simplesmente secando.

Fluminense 2 x 0 Figueirense. Dá Flu, sem sustos.

América-RN 0 x 4 São Paulo. Se empatar ou perder, se mata Muricy.

Bolão Brasileiro 2007 – Resultados 14ª Rodada

Sem consultar, nem enrolar, vão os resultados da rodada.

Atlético-PR 2 x 0 Cruzeiro. 2 a 2. Se vivem numa gangorra, era óbvio que daria empate. Só eu não percebi isso!

Goiás 2 x 2 Santos. 1 a 0. Se não é aquele grosso que errou o pênalti e teria faturado dois pontinhos.

Flamengo 1 x 2 América-RN. 3 a 1. Porque insisto em apostar nesses times nordestinos?

Náutico-PE 1 x 0 Grêmio. 0 a 2. Idem a de cima.

Figueirense 5 x 0 Corinthians. 2 a 2. Se não é o Felipe…

Internacional 2 x 1 Paraná Clube. 1 a 0. Pois é, o Inter ganhou, mas precisava ser de tão pouco?

Palmeiras 1 x 0 Vasco. 3 a 2. Jogão da rodada e tiro meu chapéu para o Verdinho. Merecido.

Atlético-MG 2 x 1 Fluminense. 3 a 0. Não imaginava que o Atlético faria uma coisa dessas com o Flu. Campeonato doido, sô.

Botafogo 0 x 0 Juventude. 3 X 1. Outro jogão e o Botafogo se garantindo na liderança.

São Paulo 2 x 1 Sport. 3 X 1. E ainda temos que agüentar o que o Muricy diz… Parece até que ganhou do Milan!

Por que educamos?

POR QUE EDUCAMOS?

*Marcos Serafim

Falar de educação não é tão simples como parece. Refletirmos sobre o porquê educamos é mais complicado ainda. Principalmente porque a maioria dos educandos das camadas populares mais pobres vivem uma situação sócio-econômica e psico-social muito difícil e conturbada. Como se não bastasse, o Estado, infelizmente, vira as costas quando se trata de uma educação de qualidade na rede pública. A resposta é uma progressão continuada.


Fica óbvio que educação de qualidade não encontra lugar vip ou tem prioridade em um Estado democrático de direita. Até porque a educação tem como alguns dos objetivos visar o pleno desenvolvimento da personalidade humana, formar pessoas conscientes de sua dignidade e ainda esclarecer e fortalecer o respeito e as exigências pelos direitos humanos e liberdades fundamentais.


O Estado democrático de direito obviamente não quer uma política educacional de qualidade que atinja níveis de eqüidade e de justiça social no Brasil para os pobres, pois se realmente quisesse, faria acontecer.


Obviamente. quem sofre é o “populacho” escondido, para inglês ver, no porão da obscura base da pirâmide que representa a má distribuição da renda no mundo, lá onde a miséria fica paralisada.


No entanto, talvez a melhor maneira de tentarmos responder o porque educamos, seja simplesmente expor nossas experiências. O que vivenciamos e sentimos ou estudamos e refletimos sobre o educar.


Educar não é fácil. É um compromisso de coragem. Principalmente porque somos educadores conscientes da má-fé do Estado. Também porque podemos, graças a Deus para quem não é ateu, apesar da tristeza que isso traz, trabalhar com um povo minorizado e excluído, que faz parte de uma porcentagem que vive lutando às margens da sobrevivência. Que além da deficiência da educação, encontram-se sem o direito de bem-estar, de gozar dos padrões básicos de nutrição, saúde, moradia, água e saneamento básico.


Entre outros motivos é por isso que educamos. Porque também acreditamos (há quem discorde) que o saber promete transformar o cidadão e dar a ele uma chance de reflexão e de subir um degrau na escalada do desenvolvimento social e urbano.


Segundo Paulo Freire, a educação tem como prioridades construir e libertar o ser humano das cadeias do determinismo neoliberal e que educar é ensinar as pessoas a pensarem certo.


O filósofo alemão, Friedrich Nietzsche, confirma isso dizendo que a prioridade da educação é promover capacidades intelectuais, artísticas, emotivas e físicas de cada discente e que a educação é o cultivo e adestramento de si, das características próprias de cada sujeito e de seu potencial criativo.


Seriam somente estas as respostas do porque educo?


Não!


É preciso muito mais que um simples trabalhar em sala de aula, mais ainda do que usar um quadro negro (por incrível que pareça) e verbalizar teorias. É preciso usar outros instrumentos de capacidade intelectual para realmente tentarmos libertar os oprimidos e incentivarmos a transformação do mundo ou pelo menos a realidade de cada um. Acredite ou não, temos que mostrar que ainda existe liberdade. Mas para que um indivíduo tenha liberdade nós também precisamos ser livres, já que livre, segundo Cecília Meireles, é o estado daquele que tem liberdade. Segundo que a outra forma de mostrar ao jovem que ele é livre para transformar o mundo, ou a si mesmo, seria através de uma formação cidadã incluente, sem sectarismo.


Florestan Fernandes faz uma reflexão sobre essa possibilidade de transformação, com base na educação. Ele diz que a grandeza de um homem se define por sua imaginação. E sem uma educação de primeira qualidade, a imaginação é pobre, e incapaz de dar ao homem instrumentos para transformar o mundo.


Muitos tocam trombetas e inflam o peito para dizer que têm compromissos ou finalidade “estatutária” pedagógica de ensino, seja ela na rede pública ou em Ongs, mas o educador deve compreender que a realidade dos jovens de comunidades carentes é esta: são analfabetos e semi-analfabetos, são hipossuficientes, vivem sem uma estrutura familiar afetiva, não tem noção de seus direitos, vivem em situação de risco social e pessoal constante e são excluídos em uma sociedade onde o acesso desigual aos bens culturais e de consumo é apenas uma face da opressão física e psíquica.


Enfim, acredito que é por isso que educamos e, como educadores, é a essa realidade que temos que “prestar contas”.


Temos que ter a mente aberta para isso.


Marcos Serafim, é em primeiro lugar, Militante Negro, depois Educador Social, Jornalista, Pós-graduando da Fesp-SP. É ainda um enxerido, intrometido e algo mais no curso de Formação Cidadã da Escola de Governo – IPESG.

Blogs que recomendo – Mundo Fabuloso

Um dos blogs mais interessante – dos que eu conheço – atualmente na internet é o Mundo Fabuloso, do estudante de comunicação social e aspirante a escritor, Cláudio Brasil,

Segundo a premissa do Mundo, a intenção é mostrar como o sistema midiático se apropria de elementos dos contos infantis para transmitir suas ideologias e conquistar, ainda mais, o público consumidor. Ou seja, mostrar que o mundo do ‘faz de conta’ não é tão ‘faz de conta’ assim.

Além deste nobre objetivo, o blog do Cláudio incentiva a interatividade publicando textos de leitores e divulgando sites e blogs que promovam e estimulem debates de idéias.

Sinceramente, vale a visita e uma boa lida nos artigos. Aposto que depois de uma olhada crítica você nunca mais irá ver comerciais e contos infantis como via antes.

Sobre Robôs gigantes se matando na porrada e um pouco de nostalgia da infância

Quando falaram que Transformers iria virar um longa metragem com direção de Michael Bay – aquele de Armagedon e Pearl Harbor, Bad Boys e A Ilha – e produção de Steven Spielberg, logo pensei: “Pronto, Autobots e Decepticons vão destruir o mundo e ainda vão deixar uma mensagem bonita e cheia de sentimentos no final”. Resumindo, imaginei que o filme seria um lixo.

Fiquei pensando como transformariam um sucesso da década de 80 em um filme, onde uma raça de robôs coloridos que se transformam em veículos, dinossauros e animais travam uma batalha de séculos, onde um grupo, os Autobots, lutam pela liberdade e, outro, os Decepticons, lutam pelo poder supremo e para manter os Autobots na linha e sob seu comando.

Nessa época, eu não entendia muito bem o desenho, mas viajava nas transformações e no visual dos personagens. Claro que pedi para meus pais comprarem os brinquedos, mas só ganhei um vermelhinho que se não me engano era o Jazz. Como só tinha esse, quando ia para a casa do meu primo, que tinha quase todos, disputávamos as guerras, simulando os sons das transformações. Bons tempos.

Voltando ao filme.

Pois bem, fizeram um trabalho perfeito!

Para quem assistiu Borat, Homem Aranha 3, Motoqueiro Fantasma, Piratas do Caribe, 300, Shrek 3, entre outros. Transformers é o único filme que entrega o que promete, até agora

Não que os filmes acima tenham desapontado, mas o filme dos robôs alienígenas foi o único que superou as minhas expectativas. Em todos os sentidos!

Transformers pode ser resumido como um filme de ação do começo ao fim com robôs se matando na porrada e com boas doses de comédia. A história (plano de fundo para os robôs fazerem da terra um ringue de boxe) é em cima de Sam Witwicky, típico nerd americano que quer comprar o primeiro carro para conquistar a garota mais linda, gostosa, sarada, e tudo mais que possa imaginar, da escola. Aliás, essa Megan Fox, é linda demais. Dói só de ver.:D!

Resumindo, o moleque coloca todas as tralhas do avô, que foi um explorador famoso, para vender para juntar a grana necessária para poder comprar o dito do carro. Para completar, ele precisa ter notas boas, senão o paizão bobão não completa a grana que falta.

Tudo certinho e eles vão para a loja de carros usados, não antes de fazer uma piadinha e um merchan da Porshe. Logo de cara, ele se encanta por um Camaro (vejam bem, um CAMARO!) que apareceu ‘de repente’ na loja. Prestem atenção nessa parte, pois há uma piada interessante com um fusca. Quem conhece a série vai entender.

Carro adquirido, sonho realizado e tudo vai se resolver… É claro que não!

Sam percebe que seu carro pode se transformar em um robô gigante e, logo percebe que está numa encrenca ferrada e, pior, está nas mãos dele resolver esse problema.

Na real, se você quer filme sério de país sem água encanada e que cura insônia, vá para o Espaço Unibanco ou para o Playarte. Transformers é filme para deixar o cérebro em casa e se divertir com as mais de duas horas de duração, que, é claro, você nem percebe.

Pontos Fortes

O exército fazer piada de si mesmo no meio da confusão e, mesmo assim, fazer sua propaganda.

O robozinho Decepticom que parece que está chapadão.

O fato dos robôs serem armados até os dentes e, mesmo assim, resolverem suas diferenças na mão.

Megan Fox.

BumbleBee

Optimus Prime (Como ele é bonzinho…)

Megatron (Mau, muito mau)

Starscream (Como caça F-22, ele ficou show)

Barricade (o carro de polícia, até o interrogatório é igual dos policiais)

Ironhide (o robô amigo do peito de Optimus, mas nem tão bonzinho quanto a questão dos humanos)

O Nokia metido a samurai (vocês vão entender)

Tá bem, todos os robôs são pontos fortes.

Para encerrar, o filme é perfeito. As transformações são perfeitas e, tirando uma ceninha aqui, outra ali. É até agora, o único que me agradou.

Assistam sem medo de ser felizes e não saiam antes de terminar os créditos, pois há cenas adicionais.

Bolão Brasileiro 2007 – Palpites 14ª Rodada

Não estou a fim de fazer uma introdução legal, então vão os palpites da 14ª:

Atlético-PR 2 x 0 Cruzeiro. Esses dois vivem numa gangorra que só vendo. Vou de Furacão.

Goiás 2 x 2 Santos. Jogão, com gol no finzinho, acaba em empate.

Flamengo 1 x 2 América-RN. Se o timinho perdeu para o Náutico em casa, porque o Flamengo não pode perder para o América?

Náutico-PE 1 x 0 Grêmio. O Timbu mostra poder de reação.

Figueirense 5 x 0 Corinthians. Já que virou festa…

Internacional 2 x 1 Paraná Clube. O Inter anda que nem o SP, então essa é a partida que ele ganha.

Palmeiras 1 x 0 Vasco. Verdinho vence o Vasco.

Atlético-MG 2 x 1 Fluminense. O Galo dá uma respirada.

Botafogo 0 x 0 Juventude. Jogo sem graça. O foguinho anda embalado.

São Paulo 2 x 1 Sport. Vamos ver, vamos ver.

Fotos do vôo da TAM

Até que demorou, mas já estão circulando na web as primeiras fotos da tragédia do Vôo 3054 da TAM que, no último dia 17, depois de tentar aterrisar no aeroporto de Congonhas, passou reto na pista, atravessou uma avenida, bateu no prédio de cargas da própria TAM e explodiu, matando cerca de 200 pessoas.

Recebi as imagens via e-mail e, realmente, são chocantes.

Pelo que percebi, são fotos de momentos após os bombeiros chegarem. Mostra o incêndio do prédio, pedaços da fuselagem, destruição de veículos, algumas coisas que não dá para saber o que é e, claro, de alguns corpos carbonizados. Pelo estado dos mortos, creio que seja de gente que estava no prédio ou na rua, pois pelo que li e entendi sobre o que aconteceu com os passageiros do avião, estes viraram cinzas.

Acredito que alguém ligado ao resgate capturou as imagens, pois as cenas estão muito próximas e há closes da tragédias, embora algumas imagens tenham sido tiradas atrás de uma cerca.

Não gosto de ver essas coisas, mas infelizmente a curiosidade que possuo é maior. Não esperem que eu repasse, pois já apaguei da caixa de entrada do e-mail, pois depois de ver isso, fiquei com a mesma sensação que tive no dia do acidente: tristeza.