España es la campeona!

*Espanha é campeã!

Casillas, o primeiro goleiro a erguer um troféu da Euro

Finalmente, depois de 44 anos, mais meus 26, a Espanha deixou de ser amarelona e faturou um campeonato importante, ou melhor, o segundo mais importante do futebol.

Torres marca o golaço do título

Arrasadora, a Fúria, como é conhecida, não tomou conhecimento da Alemanha – Itália, Rússia, Suécia e Grécia – e ganhou por 1 x 0 dos comedores de chucrute. E poderia ter sido mais, tamanha a superioridade do esquadrão ‘rojo’ durante o jogo.

A torcida em festa com o bicampeonato

Agora é ver, como disse meu amigo Frank, se uma nova potência européia, assim como a França há dez anos, aparece e acaba com essa história de Alemanha e Itália monopolizarem as atenções européias durante as Copas do Mundo.

O mundo se rende aos campeões

Engraçado é ver, depois da Copa de 2002, a Alemanha como coadjuvante de mais um título importante para uma seleção que gosto muito.

Viva a Espanha!

Segunda pátria da família deste que vos escreve.

A alegria dos campeões

Confira a cobertura ‘imparcial’ dos veículos do outro lado do Atlântico.

AS – Espanã la campeona impecable (Espanha, a campeã impecável).

Marca – Al fútbol jugaron once y ganó España. (Onze jogaram futebol e ganhou Espanha).

El Pais – La Gloria para el mejor (A Glória para o melhor).

Pedala Robinho(a)!

Às mulheres que freqüentam esse espaço, juro que tentei me solidarizar com a moça, mas não resisti e caí na gargalhada. Lembrei das pedaladas do Robinho na final do Brasileiro de 2002 para cima do Rogério.

Como modelo, ela é obrigada a andar de salto com estilo e elegância, dar uma dessas é pedir para ser aloprada.

Agora, na boa, os apresentadores foram muito FDP tirando sarro. Acho que ri mais com eles do que com o fato em si.

Vi no novo blog do Flávio Gomes

Bolão do Brasileiro 2008 – Palpites 8ª Rodada

A briga pela liderança está acirrada, apesar de Prisila e J. Rafael se revezarem, a cada rodada, na frente, mantendo apenas um ponto de diferença para o outro, finalmente mostrei meus dentes, mesmo não participando da disputa pela camisa, o que me interessa é apenas o topo. Alan também cresceu na brincadeira, mas deu uma murchada, assim como seu time ontem. Frank, bem, esse nem vou comentar, só sei que o Cido está chegando. Já, lá atrás, Thiago, Ronnie (que só joga na A) e Fernando se engalfinham pelas sobras.

Mas sei que é por conta de terem entrado depois e por esquecerem de palpitar alguns dias. Fiquem esperto, pois se entrar um ‘patrocínio’ arrumo um jeito de, sei lá, fazer um sorteio de brinde-surpresa.

Aguardem.

Confiram o ranking:

Continue reading

Agora me agüentem

Meu amigo Marcel, jornalista sofredor como eu, estava passeando pelo bairro da Casa Verde, na região Norte de São Paulo, quando se deparou com a seguinte placa:

Pois é, geralmente as pessoas são homenageadas virando nome de rua depois que morrem, como ainda estou vivo, só posso ter feito algum bem enorme para a humanidade. 

Como não fui convidado para a solenidade de batismo, acredito que eles tenham perdido meu endereço ou não saibam qu estou em Sampa, o que facilitaria, e muito a homenagem.

Enfim, vejam novamente, para ver que não estou mentindo.

É, ser famoso é outra coisa. 🙂

Créditos das Fotos: Marcel Seco

Final da Libertadores

por Franklin Duarte

Esses dias ouvi um corintiano dizer que todo mundo nasce torcedor do Curíntia. Uns nascem torcendo contra e outros, a favor.

Ou seja, o futebol gravita em torno do timinho. Aliás, vai ver até que o futebol foi inventado para esse fim. Torcer contra ou a favor do timinho.

Para entender esse narcisismo, egocêntrico e megalomaníaco, parafraseemos Nelson Rodrigues: O corintiano é pretensioso até no câncer. Até o câncer do corintiano deve ser maior, mais devastador, mais fatal do que o de qualquer torcedor de outro time (lembrando que nesta visão só existem 2, o que é e o que não é Curíntia).

Assim, ninguém é mais fiel, mais raçudo, mais sofredor e até mais odiado do que eles. Se algum outro time quiser usar esses termos, terão que pagar direitos autorais ao timinho, já que, provavelmente eles patentearam esses e outros atributos.

Sendo assim, um corintiano nasce desprovido de qualquer indício da capacidade de uma análise imparcial do outro time (aquele que não é Curíntia, mas q subdivide-se em diversas facções, coisa só permitida para que se possa realizar campeonatos que não tenham somente 2 times: Curíntia x resto do mundo, aproveitando o fato que os anti-corintianos se diferem entre si como bambis, porcos, peixes, pó-de-arroz, etc, mas todos não passamos de anti-timinho na nossa essência, óbvio!).

A análise terá sempre a marginal como parâmetro: “tão raçudo quanto um corintiano!”, por exemplo.

Haja vista, na mídia de massa que sempre foi o centro da mediocridade, todos esses clichês são aplicados à exaustão. Todos os estereótipos que estão à mão são lançados, já que eles ajudam, e muito, a preguiçosa análise dos meios de comunicação.

Continue reading

Férias da Preguiça

Para quem não sabe, estou de férias, por isso que o blog está devagar, quase parando.

Como, infelizmente, de todos os pecados capitais, o mais forte em minha pessoa é a preguiça, tá tudo capengando.

Óbvio que não vou prometer nada, afinal, de tudo que prometo, não cumpro, em matéria de coisas que dependem única e exclusivamente de minha vontade.

Vamos ver se nesta última semana de férias consigo implantar um ritmo e volto a atualizar esse espaço que tanto prezo e faz com que vocês sempre retornem.

Como sempre, não me abandonem.

Problemas, como sempre

É galera, minha via-crúcis com prestadores de serviços parece não ter fim para acabar, é a TIM me deixando sem internet, o Banco Real me deixando com a conta negativa sem nem ter usado a conta ainda… Enfim…

Estou resolvendo vários problemas, mas acho que até o fim do dia retorno com força total para deixar o blog normal novamente.

Não me abandonem. hehehe

Som do Lua da Semana – Sultans of Swing, Dire Straits

 

Chegando o sábadão e é hora de curtir o fim de semana com sol na praia, isso se o sol continuar, claro.

Para o Som do Lua da semana, mando Sultans of Swing, da banda inglesa escocesa Dire Straits.

Fundada em 1997, o Dire Straits era formado por por Mark Knopfler (guitarra e vocais), seu irmão David Knopfler (guitarra), John Illsley (baixo) e Pick Withers (bateria). Ao contrário da moda da época, o Punk Rock e os metaleiros, os Straits decidiram focar seu trabalho num rock mais clássico, conquistando o sucesso logo de cara e ganhando um disco de platina.

Infelizmente, a banda terminou em 1995, sem o estardalhaço que marca o fim de grandes bandas de Rock. Mark simplesmente cansou de fazer turnês e resolveu ficar quieto na Inglaterra se dedicando apenas à sua carreira solo. Com a grana que ele conquistou, até eu.

Gravada em 1978, o hit Sultans of Swing foi o primeiro grande sucesso dos Straits, sendo considerado o maior sucesso da banda.

Acho que só uma pessoa sabe dessa história, mas sempre chamo essa música de “Música de Sêo Jairo”, por conta de um pai de amigo que sempre colocava essa música quando íamos a casa deles.

Musicão da melhor qualidade e com solo de quase 10 minutos para desespero das rádios.

Curtam, porque rock assim não existe mais.

Letra

Tradução