Bolão do Brasileiro 2008 – Palpites 37ª Rodada e 38ªB (fim)

E acabou a série B.

Não digo que foi uma das maiores alegrias do ano – alegria foi em 2007 – pois acabou sendo maior baba e os gambazinhos ainda ficaram se achando os maiorais por terem a melhor campanha de todos os tempos da segunda divisão (o que é mentira), embora que mesmo que fosse verdade, tenho minhas dúvidas se isso lá é orgulho de se ostentar, ainda mais na galeria de títulos, entre tantos paulistas e quatro brasileiros, ter um ‘campeão da série B 2008’. Enfim, que assim seja e que eles não façam tão feio ano que vem a ponto de desabar desse jeito.

Como o Frank está com problemas no PC, pode ser que role um suspense nessa reta final, mas, semana que vem, com certeza, o bolão já estará em dia para divulgar o grande campeão.

Em tempo, vocês acham que a segundona deve continuar no bolão?

Vamos aos últimos palpites do ano da segundona.

Continue reading

Refletindo um pouco

Depois de mais de uma semana longe, retorno para o blog.

Está certo que, em São Paulo, estou desde sábado, mas por motivos alheios à minha vontade (preguiça) não dei as caras por aqui.

Fiquei uma semana em Guarujá, queria visitar os amigos, ficar com minha mãe e curtir meus irmãos, coisas que faz tempo que não faço.

Infelizmente, por conta de diversos fatores – incluso aí a distância, já que minha mãe mora na parte mais distante de Guarujá – não consegui fazer metade do que quis.

O que me chamou a atenção nessa semana em que fiquei de brisa, mas sem sol e calor, foi o fato de não encontrar meus amigos e nem colegas de tempos atrás pela cidade.

Há mais ou menos dois anos, em qualquer lugar que fosse encontrava pelo menos uns dois amigos. Balada e barzinho então? No mínimo uns 10.

Mas, na sexta-feira, quando resolvi sair com um amigo, só encontrei uma amiga e, esta, já estava indo embora do barzinho com o namorado.

Na balada, depois, também encontrei pouca gente, mesmo assim, poucos camaradas de boemia de tempos atrás…

Mas o que será que acontece?

Continue reading

Finalmente vendo 007 no cinema, mas… dublado!

Desde que me conheço por gente tenho uma certa admiração pela série 007, mas nunca havia conseguido assistir a um filme de James Bond na tela grande. Como sou dependente de alguém para ir comigo, sempre acabava assistindo a outra coisa, justamente porque as companhias não queriam ver o velho Bond traçando umas gostosas e salvando o mundo (ou a Inglaterra) mais uma vez.

Engraçado que dessa vez foi justamente o contrário. Saí para ver um filme e não tinha em mente o que ver. Cheguei no cinema, vi as opções e tinha 007 Quantum of Solace (EUA, 106 minutos), como o mundo nunca é perfeito para minha pessoa, só tinha a opção dublada. Como o próximo filme legendado era apenas às 23 horas, deixei meu preconceito de lado e fui ver daquele jeito mesmo, ainda ganhei um squeeze bem safado do filme (saudades das canecas dos heróis da Marvel).


Poster do filme

Só para refrescar a memória, em Cassino Royale temos o nascimento de 007 – e de Daniel Craig – com um Bond vacilante, apaixonado e cheio de falhas. Não dá outra, a mulher que o agente estava de quatro, Vesper Lynd, o trai, ele quase se lasca, mas se salva e aprende que para ser espião tem que ser mais macho e deixar essas coisas supérfluas, como sentimentos e amor, de lado.

Só que ele exagera em Quantum of Solace.

O filme começa praticamente de onde terminou Cassino Royale, com a característica ação no início dos filmes do espião inglês.


Trailer do filme. Ação desenfreada

Dá dó do Aston Martin, mas você fica preso na cadeira até o fim da perseguição sem respirar.
Daí em diante é só ação, com o agente e M (Judi Dench) tentando descobrir informações sobre a organização secreta que matou a paixão de Bond, vem dando as cartas no mundo e que consegue infiltrar agentes no próprio MI-6 britânico.

O filme contém todas as características que um filme do 007 tem que ter. Estão lá as Bond Girls (a ucraniana Olga Kurylenko, que faz Camille, é de matar), as propagandas explícitas de celulares, relógios e os carrões, aliás, é interessante ver como a onda verde chegou com tudo nos filmes, pois a maioria dos veículos (tirando o Aston Martin, claro) são ecologicamente corretos (aliás, alguém me diz o nome do Ford que a Camille aparece dirigindo logo no início).


Olga Kurylenko, a nova bond girl

O filme segue meio essa linha. Depois de Bond capturar Mr. White e não conseguir nada de novo, acaba seguindo uma pista e indo parar no Haiti, lá conhece Camille e Dominic Greene, o vilão principal do filme, que tem a intenção, em aliança com um general da Bolívia, de dar um golpe no nosso país vizinho e tomar sua principal fonte natural (acho que de todo planeta).

A história é bem amarrada, com 007 dando rolê por todos esses países mais Áustria e Itália, tomando tiros, levando porrada, pegando mulheres e saindo impecável na cena seguinte.


FDP, arranhou meu carro

O que me agradou nessa nova leva de filmes é que as histórias fazem sentido e não vejo nenhuma impossibilidade das coisas aconteceram, se é que não acontecem, deixando de lado os rolos comunistas de antigamente, as histórias fantásticas e mirabolantes e se amarrando em tramas complexas, mas verossímeis. Nem os gadgets existem mais, é tudo na pistola e na mão mesmo, embora gostasse dos inventos sem-noção de Q.

Quanto à atuação de Daniel Craig, o cara mostrou em dois filmes que merece ostentar o smoking de Bond. Ele encarna bem o personagem que quer vinganças, mas que precisa se segurar para descobrir qual a trama e a organização por trás de toda essa história, infelizmente, são rara as vezes que ele se segura, esquecendo, quase sempre, que é preciso interrogar os suspeitos antes de dar cabo deles, para desespero de M.


– Depois vou te levar lá em cima…

Para encerrar, é um filmão, vale o ingresso mesmo, a música-tema e a abertura – que é claro, não está liberada no youtube – também matam a pau, não é um Chris Cornell, mas Alicia Keys e Jack White (puta cara estranho) mandam muito bem com Another Way to Die.


Tema do filme, ignorem o estranho

Não perca tempo e corra para o cinema, mas tente ver o legendado, apesar da cópia dublada não ter comprometido.

Confesso que esse ano estou meio relapso em relação a ir ao cinema. Assisti apenas a três filmes e me arrependendo amargamente de não ter assistido ao Wall-E.

Enfim, espero que o ano que vem isso mude, mas, já que 2008 já era, vou vendo o que dá.

Bolão do Brasileiro 2008 – Palpites 36ª Rodada e 37ªB

Assim como o campeonato, o bolão também chega a sua reta final. Só não sabemos como está a situação, porque o Frank está com problemas em seu PC, mas assim que normalizar tudo teremos o resultado final e o grande vencedor do Bolão.

No campeonato ainda está tudo indefinido, infelizmente o verdinho não deu nenhuma força para ajudar no hexa (ou tri), tomara que fique fora até da Libertadores.

Já o curíntia do Rio, ainda acha que tem chances de ser campeão, o que eu duvido, a parada vai ser entre o time de azul do Sul e o melhor do mundo, com leve vantagem para o time de azul.
Sem mais delongas, vamos aos palpites:

Continue reading

Desculpas, Papo Animado, Projetos e mais desculpas

Sim, eu sei que estou devendo textos e um monte de coisas, mas ando numa correria só e, quando sobra tempo, faço o texto do Ato ou Efeito ou algum para o Bolão.

Aliás, já está no ar o novo Papo Animado, depois dêem um pulo lá e digam o que acham.

Voltando ao assunto, acabei de jogar fora um texto que fiz quando voltei do Litoral, dei uma editada, mas ficou uma bosta, principalmente porque era temporal e acabou esquecido em uma pasta qualquer por duas semanas.

Estou um relapso com o Lua, confesso.

Mesmo assim, espero que tenham paciência, tem um Meme na fita (será que isso ainda é moda?), uma resenha de filme e um texto em cima desse que falei que joguei fora. Sem contar um novo projeto – que vocês falarão que largarei de lado também – que sei que irá agradar muita gente.

Juro que vou colocar tudo em ordem e voltarei a postar com gosto.

Bolão do Brasileiro 2008 – Palpites 35ª Rodada e 36ªB

Enfim, mais uma semana se passou e o campeonato se encaminha para o fim.

Aquele que valia a diversão da temporada, já acabou, inclusive nem teve graça, afinal, os times eram bem fracos. Só não entendo a comemoração em cima disso.

Como bem disse um amigo, é como se dessem uma baita festa celebrando a volta de um amigo/familiar que estava preso.

Enfim, corintianos são assim mesmo, tanto que comemoram como título mais importante um campeonato paulista em cima da Ponte Preta.

Vai entender, que venha a estrelinha na camisa, tal qual Criciúma, Remo, Atlético-PR, entre outros da mesma espécie.

Chega de falar do timinho e vamos aos palpites da semana e do fim de semana.

Seguem abaixo:

Continue reading

Síndrome da Segunda-Feira

Por Leandro Garcia

Talvez você não conheça por este nome, talvez você conheça como Síndrome do Boa Noite do Fantástico, etc., mas duvido que você nunca tenha sentido isso, ou sente.

Você já se perguntou, Por que suas segundas-feiras costumam ser longas e chatas (não estou falando do seu companheiro de trabalho que é alto e foi apelidado de segunda-feira)? Ou por que é o dia típico para você se atrasar ou por que você sente vontade de chutar tudo e ir vender côco na praia?

Te respondo, você está mal-empregado.

Não é mal-empregado apenas no sentido financeiro, mas no sentido psicológico.

Você pode ter um excelente salário, viajar pela empresa, trabalhar perto de sua casa, benefícios, pode ter diversos outros itens que a sociedade julga ser requisitos ideais para avaliar se você está bem empregado, mas, mesmo com tudo isso, você, ao acordar no domingo, sofre ao pensar que amanhã é segunda.

Continue reading

Pilotos cantando em despedida de canal inglês da F1

Sei que a Fórmula 1 já acabou, o Hamilton levou e os brasileiros, adeptos de teorias conspiratórias para justificar as derrotas – vide Copa de 98 –, acham que o Glock abriu as pernas para o inglês da Mclaren faturar o título.

Bobagem que nem vale a pena comentar.

Mas, depois dessa decisão histórica, o que achei mais bacana foi esse clipe da ITV, emissora britânica que transmitia a F1 para o Reino Unido. Como a ITV perdeu os direitos de exibição da principal categoria do automobilismo mundial para a BBC, fez esse vídeo especial retratando o que foi a categoria durante os 11 anos que cobriu a F1.

Divertido, alto astral e emocionante.

A música é Welcome to the Black Parade, do My Chemical Romance e, apesar de ser emo, é bem legal.

Curtam aí.

Fico imaginando a Globo fazendo algo parecido, com Ivete Sangalo, Jota Quest, Exaltasamba ou Latino. Ou todos juntos.

Medo.

Bolão do Brasileiro 2008 – Palpites 34ª Rodada

Acho que o povo ficou meio fulo na última rodada, já que não deu tempo para mandar os palpites via e-mail. Eu já disse uma vez e vou dizer de novo. Quando for assim, postem no blog que dá na mesma.

Às vezes penso que minha preguiça contagiou vocês…

Vamos para a rodada da semana com tudo normal novamente.

Primeiramente a série do timinho, que apesar de já ter voltado, ainda tem que cumprir mais um mês, em regime semi-aberto, para retornar para a primeirona.

Enquanto isso faça a festa, mas lembre-se que ainda está no mesmo naipe de ABC, CRB e Gama.

Embora sempre esteve.

Seguem os palpites:

Continue reading