Quero dizer…

Por Lucilene Silva

Quero dizer que te admiro como homem;

Quero dizer que não tenho vergonha de você;

Quero dizer que amo seu jeito espontâneo de fazer amizade;

Quero dizer que adoro o jeito que você me olha;

Quero dizer que adoro quando você me ama;

Quero dizer que gosto quando cuida de mim;

Quero dizer que fico com raiva quando briga comigo;

Quero dizer que detesto brigar com você;

Quero dizer que odeio quando me ignora;

Quero dizer que fico magoada quando me faz chorar;

Quero dizer que adoro quando me faz surpresa;

Quero dizer que amo quando me faz rir;

Quero dizer que gosto de jogar videogame com você;

Quero dizer que gosto de dançar com você;

Quero dizer que gosto do seu ronco, pelo fato de saber que você está do meu lado;

Quero dizer que adoro seu cheiro;

Quero dizer que quanto mais eu te conheço, mais TE AMO!

Sobre a prova de Analista de Comunicação Social – MPU

E eis que tive o primeiro teste para valer desde esse dia aqui, onde prometi que daria tudo de mim para passar num concurso público.

Bem, a preparação para a prova de Analista de Comunicação Social foi bem capenga, aliás, não houve preparação, pois tive alguns problemas chatos que me tomaram muito tempo e acabaram me atrapalhando na preparação para essa prova.

Ainda assim, resolvi prestar o teste, já que havia feito a inscrição e gastado dinheiro com isso. E, acredito, que não fui tão ruim. Numa prova com 150 questões, acertei 95, nada mal, mas como resolvi fazer no melhor estilo tudo ou nada – pois lembre-se, não havia estudado – as outras 55 questões erradas acabaram derrubando minha nota para, por enquanto, 67,5, pois a Cespe/UNB tem essa mania maldita de fazer avaliações punindo o chute. Nesse caso, cada errada valia meio ponto negativo, ou no jargão dos concurseiros, duas erradas, anulam uma certa.

Coloquei “por enquanto” ali, pois ainda tem a redação, se é que vão corrigir, o que daria uma nota final razoável, e o nome figurando entre os “Aprovados”, mesmo não tendo a mínima chance de entrar. Afinal, para Analista de Comunicação Social, geralmente dispõe de apenas uma ou duas vagas. E nesse concurso, em específico, prestei para cadastro de reserva. Ou seja, só em sonho mesmo.

Após a correção da prova, fiz uma auto-avaliação e, mesmo com as minhas metas batidas (tinha o objetivo de acertar 75 questões, onde 100 acertos – que passei perto – eram o céu), vi que, por conta de erros em questões idiotas, poderia facilmente chegar a 120 acertos e, provavelmente, estudando, batido no teto de 130. Tendo uma aprovação com mais chances de ser chamado.

Sei que sofro para acertar meu tempo, de desvio de foco (tenho outras três coisas em vista), concentração e preguiça (a mais grave). Mas, agora que as coisas estão engrenando novamente e com tudo nos eixos, acredito que será mais fácil encaminhar as coisas e estudar com a seriedade que esse tipo de coisa exige.

Agora é se preparar para o próximo teste e eliminar esses “ruídos” que tanto me atrapalham na preparação.