Conheça Mutum

Galera, um amigo de Bebedouro-SP, o cartunista Moisés Gonçalves, também conhecido como Moiza, lançou sua primeira coletânea de quadrinhos do seu personagem principal, o Mutum.

São 48 páginas com as melhores histórias que, certamente, farão o leitor desfrutar ótimos momentos de descontração. Diversão garantida para toda a família, principalmente os mais jovens.

São apenas R$6,00, já incluído o frete, para encomendar o seu, basta entrar em contato com o Moiza no e-mail moizazine@gmail.com ou no cel (17) 9708.0764.

Cartunista, Ilustrador, Chargista, Caricaturista, Quadrinhista e Editor gráfico, prestando serviços de ilustração em todo o Brasil, Moiza possui trabalhos publicados em diversos jornais, revistas e sites.

Compartilhe Esporte e Cidadania com quem precisa

Bem amigos do Lua.

Acho que vocês já sabem que escrevo, falo, empino pipa e jogo bola e participo do Visitantes FC, o podcast/blog sobre futebol mais irreverente da web conhecida, pelo menos por mim.

Recentemente, aderimos a um dos projetos Compartilhe, da Mastercard em conjunto com a ONG Visão Mundial. Lá, você entra e escolhe entre projetos que abrangem Esporte, Cultura e Educação, Tecnologia e Economia solidária.

Nós do Visitantes apadrinhamos o que fala de Esporte e Cidadania e, para ficar melhor, você também pode ajudar da seguinte maneira:

1. Entre no site do Compartilhe
2. Doe uma palavra que represente o valor da sua emoção ao apoiar esse projeto.
3. Pronto.

Você não gasta um único real. Quanto mais votos, mais rápido o projeto por nós escolhido será apoiado pela Mastercard. Você doa, convida mais amigos pra doar, espalha por todo seu círculo de amizades e vai ajudar muitas crianças, que vão poder participar de diversas atividades esportivas vislumbrando um futuro melhor.

A ONG promove diferentes atividades esportivas para cerca de 300 crianças das comunidades como futebol, basquete, vôlei e capoeira e o apoio será através da doação de uniformes, kits de materiais e estruturas para a prática desses esportes.

Por isso, pedimos a sua participação para o projeto Esporte e Cidadania. Com pouquíssimo esforço você pode dar uma ajuda gigantesca para um monte de crianças que hoje não tem condições mínimas para realizarem as atividades relacionadas acima.

Esse sim é um bom motivo para você mandar e-mail pra toda a sua lista de endereços. Uma ajuda real para diversas crianças que necessitam da sua ajuda.

Quem curtir a ideia e também escrever sobre o assunto, coloca o link aí nos comentários que a linko nesse texto e lá no Visitantes para ajudar a divulgar também! Participe e compartilhe!

Ela, eu e o Bon Jovi

Pensei: “Oras, por que não tentar? O máximo que vai acontecer é a galera ficar me zoando por causa das frases que vou colocar e dar risada com isso”.

Assim resolvi participar da promoção @SubZeroRocks para ganhar um par de ingressos para o show do Bon Jovi no Morumbi.

Sim, show do Bon Jovi no Morumbi, sou fã do som dos caras, assim como do Iron Maiden, Metallica, Scorpions, Engenheiros, U2, AC/DC, Wando, Ira e Magal. Como sou meio zicado com qualquer coisa, já meio que acreditava que só renderia risadas por conta de algumas frases infames.

Mas, ás 16:30 de quarta-feira, dia 6, o twitter oficial da cerveja Sub Zero (que me rendeu chacota por ter levado umas latinhas num churrasco) me anunciou como vencedor com a frase “Só a @subzerorocks te dá a #ultimachance de ver o Bon Jovi ainda hoje em SP sem morrer na mão do cambista com cerveja quente.”

Nem preciso falar que foi uma das maiores alegrias do ano até agora. Na hora falei com a Luzinha e combinamos de se encontrar, no que seria o primeiro grande show de rock da vida dela.

Às 18:30 saí voando do meu local de trabalho, peguei o trem e um trânsito dos infernos e cheguei no local para retirada dos ingressos. Às 20 horas. Novamente, por causa do trânsito, me atrasei e, enquanto Lulu me xingava, e muito, no celular, eu me preocupava em chegar no Morumbi a qualquer custo.

Cheguei, às 21:30, já com o show rolando e Luzinha querendo minha cabeça (ou saco) numa bandeja. Corri até onde ela estava e levei até o portão de entrada. Idiota, como sou, não vi que tinha que entrar pelo outro lado por causa das grades de metal, voltamos tudo de novo, entramos, corremos e, enquanto isso rolando “You Give Love a Bad Name”.

Mostra ingresso, revista, mostra ingresso de novo, entra, corre de um lado, cadê entrada, chegamos!

Mesmo já tendo ido a outros grandes shows, a sensação de se misturar à massa é indescritível, vi que Lu sentia a mesma coisa, pois estava na cara que nem se lembrava do perrengue que tivemos para chegar lá. E era a primeira vez que ela tinha essa sensação.

“Born To Be My Baby” tocava naquela hora, e o brilho nos olhos de Lu só mostrava que aquele lugar, entre as mais de 65 mil pessoas, era só nosso.

A abracei forte, e curtimos, juntinhos, como se fosse num baile de escola, as três horas de show, que nem deu para sentir passar direito. A sensação de estar com a mulher mais linda da escola, enquanto dançava com ela, era a mais forte possível, embalada pelas românticas “When We Were Beautiful”, “Bad Medicine” (com “Pretty Woman”, de Roy Orbison, e “Shout”, de Isley Brothers), “Lay Your Hands On Me”, “Always”, “I’ll Be There For You” e “Someday I’ll Be Saturday Night”.

Também pulamos muito com “It’s My Life”, “Have A Nice Day”, “Keep The Faith” e, principalmente, “Livin On A Prayer”.

A cereja do bolo foi o encerramento com “Bed of Roses”, embora eu esperasse “Never Say Goodbye”, mas o fato de estar ali, com a mulher da minha vida, ouvindo um rock n’ roll com um cara que embalou a adolescência de muita gente, sonhando com o momento do beijo, do abraço e de sair junto com a princesa da festa, já mostrava que ali, naquele momento, no meio de 65 mil pessoas, nós éramos o casal mais feliz do mundo.

Não sei quando iremos novamente a outro show de tamanha magnitude, mas espero que não demore muito, pois, apesar de musicalmente falando, não ter sido um dos melhores shows que já vi ao vivo, foi o melhor show da minha vida.

Ps: Aqui, no Baconfrito, você pode ver o que eu achei, musicalmente falando, do show do Bon Jovi.

Eleições 2010 e a Festa da Democracia

Ao contrário de, sei lá, 109% da população brasileira, desde pequeno sempre curti esse lance de eleições, talvez por conta de ver aquela galera brigando por “Diretas Já” e depois pelo Impeachment do Collor. Para empolgar um pouco mais, já na adolescência, ainda rolou o lance do plebiscito, com direito à simulação de votação na escola.

Bons tempos.

Também sempre tive uma leve queda ideológica pelo PT, por conta do meu pai ter participado da histórica greve da GM, em São José dos Campos, e ter trabalhado como motorista da CUT durante um bom tempo, quando era bem pirralho, afinal rolava de ir uns amigos dele lá e ouvir várias histórias que, para um pirralho de 5-6 anos, soavam como batalhas épicas e históricas.

Fiquei mais velho, me formei em jornalismo, tive uma relação próxima da política e, inclusive, trabalhei como assessor de imprensa do partido mais conhecido (e odiado) do mundo o DEM PC do B. Durante esse período, tive o desprazer de descobrir que a população tinha razão em odiar a classe política. Mas também tive o prazer de ver alguns bons trabalhos e bons políticos também. Pelo jeito é aquela velha história do antigo comercial de biscoito, a política é ruim porque brasileiro não se importa com as eleições, ou o brasileiro não se importa com as eleições porque a política é ruim?

Acredito que se as eleições fossem levadas mais a sério, com certeza as coisas melhorariam, e muito, no país, por isso sempre fiz questão de participar da tal “festa da democracia” exercendo meu direito de voto, para dar continuidade aquilo que acho que está bem, ou para trocar aquilo que acredito estar uma bosta. Por essas e outras, acabei não tendo uma ideologia definida, tanto que já votei no PT, PSDB, PV, PMDB, PRONA, PC do B, e por aí vai.

Esse ano, infelizmente, não irei exercer esse direito que deveria ser mais valorizado pelo povo brasileiro. Por motivos pessoais e por absoluta falta de tempo para mudar meu domicilio eleitoral, ficarei em SP e justificarei meu voto, o que me deixa chateado, já que mais importante que eleger presidente e governadores, é a eleição dos senadores e deputados, que este ano, mais uma vez, deverá ser uma extensão do celeiro de celebridades nível B que virou a política brasileira.

Espero que você, que está lendo esse blog, e que poderá votar neste domingo, exerça seu direito, escolha bem seus representantes, principalmente dos cargos legislativos, e guarde os nomes que escolheu para cobrar via telefone, carta, e-mail ou protesto, porque ferramentas não faltam nesse sentido.

Boa festa da democracia e, se puder, guarde um pedaço de bolo para mim.