E Hoje é Dia do Repórter!!!



16 de Fevereiro, hoje é dia do repórter.

Apesar de nunca guardar essas datas, fica aqui registrado a homenagem a todos as pessoas que se ‘matam’ no dia-a-dia para conseguir uma boa pauta, matéria, entrevista ou mesmo as (argh) enquetes.

Parabéns a todos nós!!!!!!

Quem nunca passou por isso…

Crônica dessa semana do Veríssimo. Muito legal. Afinal quem nunca passou por isso, não é verdade.

Apreciem com moderação.

Obrigado, Fernando Henrique

Recebi um cartão de crédito novo para substituir um vencido. Junto, a instrução: ligar para 4001-4828 para desbloquear o cartão.

Como sabe quem liga para um número destes, é preciso passar por um teste de atenção e reflexos, comandado por um robô com voz feminina, antes de merecer o direito de falar com um ser humano. De acordo com o assunto, digita um número, que leva a outra escolha de número, que leva a outra, e a outra, até — se você escolheu a seqüência certa — ser saudado por uma voz de gente, mas parente do robô, porque o tom é parecido, que pergunta em que pode servi-lo. Eu disse o que queria. Desbloquear o cartão novo que tinham me mandado.

Para minha segurança, disse a prima do robô, ela precisaria confirmar alguns dados. Numeração do cartão vencido. Numeração do cartão novo.

Meu número de RG. O número do meu CIC. O nome do meu pai. O nome da minha mãe. Gosta de iogurte? É ciumento? Não, esses dois itens eu estou inventando. Mas dei a informação pedida. Depois de uma pausa para consultar o computador, a voz disse:

— Senhor, os dados não estão corretos.

Examinei os números do cartão antigo e do novo. Eram aqueles mesmo. Meu RG era aquele mesmo. Meu CIC também. Será que eu passara a vida inteira chamando meu pai pelo nome errado? E o nome da minha mãe, era pseudônimo? Pouco provável. Eu disse para a voz que os dados estavam certos.

—- Senhor, alguns dados não conferem com os que temos. Por favor, muna-se da documentação necessária e ligue outra vez.

— Mas eu estou com a documentação aqui e se ligar outra vez vou dar a mesma informação.

— Senhor, por favor, muna-se da documentação necessária e ligue outra vez.

— Quais são os dados que não estão certos?

— Senhor, não podemos dar essa informação.

— Mas como é que eu posso corrigir um dado se não sei qual é o errado?

— Senhor…

Finalmente descobri que podia passar um fax com cópias dos documentos que provavam que eu era eu. Foi o que eu fiz. Semanas depois recebi uma carta impressa, com um “x” marcando a razão pela qual meu fax era inaceitável: “Ilegível”. Mandei as mesmas cópias, bem nítidas, pelo correio. Passaram-se semanas. Liguei outra vez para o 4001-4828, para saber das novidades. A voz sabia do meu fax ilegível.

— Mas eu mandei uma carta depois.

— Também estava ilegível.

Desisti de desbloquear meu cartão novo. Tudo bem. A vida moderna tem esses buracos negros tecnológicos, culpa de ninguém. Mas será que sabem o estrago que fizeram no amor próprio de um cronista, chamando-o repetidamente de ilegível? Foi por estar assim fragilizado que fiquei emocionado quando me contaram que o Fernando Henrique Cardoso, na sua entrevista no “Roda Viva” (não vi, estava vendo outro bom ator, o Marlon Brando, na Net), disse que eu não entendia de nada, mas escrevia bem. Eu e meu ego nos sentimos desagravados. Obrigado, Fernando Henrique!

Só um adendo. Há dias chegou uma correspondência do cartão de crédito, estranhando a minha demora em desbloquear o cartão novo.

Se não fosse uma carta impressa, sem uma assinatura humana, eu desconfiaria de ironia.

Ignorância para quê?

Passei no exame para habilitação de carro (ainda falta a de moto), apesar de ter ficado com raiva e nervoso com algumas coisas (passei sem nenhum erro, mas dei mancada na balisa, acho que o examinador foi com minha cara…) uma coisa me chamou a atenção…

Por que os examinadores têm que ser extremamente ignorantes e ranzinzas? Principalmente o delegado. Eles são pagos para estarem lá, independente do que fazem. Não são obrigados a nada e ficam tratando as pessoas que nem lixo. VÃO SE CATAR!

Sinceramente, não tem cabimento. Eu, por exemplo, estava com uma garrafa PET e um copo descartável na mão e não queria jogar na rua ou no canal que tem na área de exame. Fui até a mesa dos examinadores e perguntei se não teria um lixo para poder jogar. O delegado com toda “delicadeza” possível, falou ríspido – NÃO TEM NADA AQUI, NÃO!

Juro que fiquei muito puto e chocado. Aquele cara, que deveria dar o exemplo e é responsável por manter a lei e a ordem na cidade?. – Antes ele já havia tratado uma menina mal e tinha gritado com o pessoal “porque estavam antes do cavalete de demarcação. Custava um pouco de educação. Eu só não dei uma resposta atravessada, porque fiquei com medo de retaliação, além da menina da auto-escola que me mostrou que, sim tinha um lixo ali…

Por essas e outras que está acabando a educação nas ruas. Filhos matando pais. Mães abandonando e matando filhos. Pessoas morrendo por motivos fúteis. Enfim, é no “mínimo” que começa o respeito pelos outros. E espero que esse delegadozinho de merda aprenda a ter mais educação.

PS: Ainda ficou faltando falar sobre as ‘caixinhas’ que imperavam por ali. Mas isso todo mundo já sabe, não é mesmo…

Minha Primeira Vez…

Nesse fim de semana tive, finalmente, minha primeira vez…

Como muitos já haviam me dito, deu uma certa aflição antes de começar. Um frio na espinha e uma enorme expectativa…

Como me orientaram (se é que existe orientação nisso), fui devagar, sentindo o cheiro, tateando, sentindo o ambiente e explorando o local…

Era sujo, mal cheiroso, bagunçado e com um pouco de mato em alguns lugares. “Falta de cuidado”, pensei. Mas nada que estragasse o espetáculo.

Quando finalmente começou, até achei meio monótono. Mas conforme a emoção aumentava, eu me empolgava cada vez mais. Até… que veio o primeiro…

Foi incrível uma sensação de bem estar, prazer, alegria. Isso tudo tomando o corpo ao mesmo tempo. Não resisti. Queria mais…

Não demorou muito e veio o segundo e o terceiro…

Não agüentei e fui para o intervalo. Pedi água… Mas queria mais…

Voltei mais empolgado…

Logo de cara, chegou o quarto. Mesmo cansado queria mais. Aquela overdose de emoções tomava minha cabeça. E mesmo insistindo e não agüentando mais, saiu o quinto…

Saí extasiado e cheio de felicidade. Afinal não é todo dia que você vê o melhor time do mundo, ganhar de cinco a zero, com show de bola.

O jogo foi São Paulo e Portuguesa Santista, na Vila Belmiro. O Tricolor venceu de cinco a zero, fora o espetáculo. Foi minha primeira vez num estádio de futebol e espero engrenar dessa vez.

Só se tocaram porque é ano de eleição…

Finalmente consegui atualizar por dois dias seguidos!!!!

Veja só, os deputados e senadores estão falando como se fossem os pais da moralidade, o fato de terem suspendido o pagamento extra (dobrado diga-se de passagem) durante as convocações extraordinárias (que não iam mesmo).

Além disso, acham que 45 dias de recesso/férias é pouco. Acertaram 55 e ainda reclamaram.

Sinceramente, não sei mais o que pensar dos nossos “representantes”. Eles tem 15 sálarios, passagens de aviões grátis, assinaturas dos principais jornais e revistas do país, verba para gabinete e escritório eleitoral, auxílio-paletó, auxílio-moradia (isso porque tem os Ap’s funcionais que acham “feio” e preferem hotéis e pousadas). Trabalham só alguns dias da semana. Vão quando querem e, se faltam, não é descontado do sálario. Entre outras coisas como estabilidade no emprego durante 4 anos (8 no caso dos senadores), entre outras coisas.

Bem, não há o que dizer, o mínimo que se exija deles é que trabalhem. O fato de terem cancelado o sálario-extra da convocação é só para, quando houver nova convocação, eles não irem sem dor na consciência.

Quanto ao recesso, bem, acho que só os estudantes tem folga maior e olhe lá… Mas fazer o que, pelo menos reduziram 35 dias…

Agora é esperar para ver se o povo “reduz” para 4 anos.

Viva o nosso Bananal!!!!

Perspectivas para 2006!!!

Eu sei que já está quase no final de janeiro, mas, como prometi, vou tentar manter esse blog sempre atualizado. Tarefa árdua, é verdade, mas vou tentar cumprir.

Pois bem, todo mundo fez retrospectiva de 2005 e coisa e tal.

Para variar um pouco vou fazer perspectivas para 2006. (Como janeiro tá indo embora, vou pular então…)

Fevereiro: Sem comentários, é Carnaval e ninguém pensa em nada.

Março: Ressaca do Carnaval e o ano realmente recomeça. Meu aniversário também.

Abril: As pessoas já estão quase tomadas pelo ‘espírito’ da Copa. Só não estarão completamente, porque vão estar tomadas pelo ‘espírito’ da Páscoa e de Tiradentes (dois feriados emendados seguidos!!!)

Maio: Não tem mais o que pensar, o povão só vai estar pensando na contagem regressiva para a Copa, os segredos de Togo, Trinidad, Ucrânia, Irã e etc. Ah e também se o Parreira escala o quarteto ou o quinteto mágico! (mais um feriado prolongado). Dia das Mães também (Capitalismo em curso)

Junho: Nada a declarar… Para frente Togo!!!!!!!!!!

Julho: Copa ainda!!!! Todo mundo de Férias de olho no país dos Hans.

Agosto: Não tem jeito, ressaca pós Copa. Ou da vitória ou da derrota. Começa o ‘espírito’ eleitoral. Agora que todo mundo vai pensar em eleição…

Setembro: Campanha eleitoral e o famoso 7 de setembro. Mais um feriado prolongado.

Outubro: Hora de escolher outro loroteiro. Se o povo vai tomar vergonha na cara, isso já é outra história. Depois mais um feriado prolongado e o espírito infantil (e capitalista) tomando conta do mês.

Novembro: O ano já está acabando e o espírito natalino já tomou conta das pessoas, mais dois feriados, um no meio da semana, mas quem se importa?

Dezembro: Acabou o ano, todo mundo só pensa no Natal, Ano Novo, Férias, 13º e Verão. Bom 2007 (Pan no RJ, haja saco)!!!!!!!!!!!!

Votos de 2006, tentando ser original…


Mais um ano que se acaba, mais um ano que se inicia. Promessas… Vou fazer isso, vou fazer aquilo…

Fiz muitas promessas esse ano… Tracei alguns objetivos… Alguns alcancei, outros ficaram para depois. Apesar disso, ainda não desisti deles.

Ao invés de especular sobre o ano que se inicia, vou fazer um balanço deste que se finda.
Antes de começar, agradeço a todas as mensagens de Natal que foram postadas, de coração. Peço desculpas por não ter deixado nenhuma, e nem respondido, mas infelizmente meu “espírito natalino”, não foi suficientemente alto esse ano.

Pois bem, esse ano, que começou aos trancos e barrancos, passei por algumas dificuldades, conheci lugares novos, amigos novos, vi parentes que fazia anos que não via, me aproximei de velhos amigos. Infelizmente, me distanciei de antigos (culpa minha, mas na maioria deles hehe).
Fui enrolado com falsas promessas e, felizmente, termino o ano razoavelmente bem, engrenando para 2006.

Para esse novo ano, espero cumprir parte do planejamento que criei em 2000, quando decidir ser o que tento ser.

Espero atualizar sempre meu blog, escrever os depoimentos que tanto prometo, tentar se reaproximar dos que se distanciaram e manter por perto os que assim estão.

Pessoal, Feliz 2006 e possamos nos encontrar e bagunçar durante todo ano.

Beijos e Abraços do fundo da alma e do coração.

Marquinhos, Marcos, MVB, Lua.

Mudei tudo!!!


Pois é, depois de mais um tempão sem atualizar, por pura preguiça mesmo, resolvi logo radicalizar, além de mudar todo o visual do blog, mudei o nome também. Se bem que foi mera formalidade, pois o nome sempre foi esse mesmo, tanto que está na URL.

Apesar de “assunto” ser uma coisa que nunca está em falta (o que fica em falta é a criatividade) eu estou sem um legal para explorar agora.

O que falar… Dos escândalos do governo. Da reta final do Brasileirão. Da cidade onde vivo, mas não tenho nenhum “tesão” por ela. Não sei.

Não tenho idéias, nem vontade de escrever sobre essas coisas que tanto são exploradas pela mídia, ainda mais agora que a moda é ter “blog”, jornalistas, economistas, e uma gama de personalidades esmiuçam cada vez mais esses assuntos, então vou tentar não cair nesse lugar comum. Apesar de ser díficil.

Conforme a minha criatividade e a inspiração (vide coluna anterior) virem, vou tentar não deixar o blog abandonado.

A falta de inspiração e os brancos da vida

Depois de muito o que pensar para finalmente estrear esse espaço (afinal foram 3 meses enrolando). Eis que… Estou sem idéia nenhuma?!

Pois é, nenhuma luz de pensamento, nem um filete de inspiração.
Sem saída, sendo que venho postergando isso faz tempo, resolvi escrever sobre exatamente isso… A falta de inspiração.

Quantas vezes já nos pegamos tentando criar algo e, por mais que tentasse, não vinha nada. Dá até para citar alguns, ou melhor, vários exemplos.

Como quando na longínqua 4ª série, a tia (nem lembro se já podia chamar de professora) pedia para aquela redação sobre a sua rua, ou a sua família, ou, o clichêzão supremo das escolas, a redação de férias. Obviamente você imaginava “moleza”, mas na hora H… Nada… Nem um tantinho de lembrança.

O terrível é que isso pode acontecer anos mais tarde e em situações que não há para onde correr. Naquele concorrido vestibular que há 100 candidatos por vaga (não se preocupe 80% deve estar na mesma situação que você). Na hora de fazer aquele relatório que pode te promover ou rebaixar na empresa (aí é contigo, e se não vier nada… Reze).

Há outras situações em que a falta de inspiração (tem outro nome, mas também não lembro) atinge o ser humano de tal forma, que o momento, ou a falta dele, pode mudar os rumos de sua existência.

Outro exemplo, ora, na hora de se declarar para a pessoa amada, mentalmente você já decorou de cor e salteado o que deve ser dito e o que tem que ser feito. Mas no cara a cara… Branco!!! Aí camarada, torce para ela ser compreensiva, senão, pensa na próxima…

Breve pausa
Ok, eu sei que mudei o assunto, estava escrevendo sobre a falta de inspiração, mas deu branco!!! Então resolvi falar desse assunto também. O espaço é meu e faço o que quiser. Segue o texto.

Numa apresentação, por exemplo, atores são profissionais, dão com aquilo direto e, mesmo assim, tem seus momentos de “branco” e “falta de inspiração” (pronto ta de volta). Quantas vezes não vimos, ao vivo ou mesmo no final de séries e filmes, nos erros de gravação, os atores errando porque esqueceram o texto e depois dando risada, mais para disfarçar mesmo.

Então não condene àqueles que se esquecem e também estão desesperados (fusão da preposição des+inspirados) para fazer ou criar algo.
Abraços a todos.
Fui

PS: Olhando bem, não ficou grande coisa, mas vou melhorando… Se tiver inspiração e não der branco. Claro

Apresentando…

Olá Pessoal!
Tudo Bem!
Finalmente estou entrando nesse mundo dos Blogs. Como não sei mexer direito nisso, vou aprimorando conforme o tempo for passando.
O objetivo desse Blog é causar polêmica, discussão e reflexão. É claro que vou precisar da ajuda de todos, portanto quem tiver sugestões, idéias e textos e quiser enviar, será muito bem vindo.
Espero que gostem.
Abraços
Marcos Bonilha