Eleições 2012 – Passei longe da festa da democracia

E vamos chegando, tirando o pó, as teias de aranha e tudo mais que tem por aqui. Como tá muito sujo, já que era muito tempo sem entrar por aqui, vou puxar a cadeira, acostumar com o ambiente, assoprar o pó da máquina de escrever e rezar para a rinite não atacar.

Hoje foi a famosa “Festa da Democracia”, aquela que o cidadão tem a chance de fazer valer a tal de “Ficha Limpa” e tirar realmente quem não presta do lugar que não merece. Infelizmente, nêgo mal sabe para quê serve um vereador, imagine ter noção para votar, afinal, para muitos, “é só mais um dia perdido onde somos obrigados a votar em ladrões, etc, etc, whiskas sachê”.

Já pensou, lá nos confins do Maranhão, nêgo com dedo de outro para votar? LOL

Foda, mas não é sobre isso que vou falar.

Esse ano acabei falhando, pois não transferi meu título para SP, acho de extrema importância votar e, se possível, encher o saco desse povo que se acha deus quando está lá, sendo que, na real, eles que tinham que nos tratar como deuses. Mancada minha, mas é algo que vou corrigir assim que liberarem.

“Marcos, você bem que podia fazer seu exercício de cidadania e ir lá em Guarujá votar, afinal, sua família ainda vive la”.

Justamente, mas quando escrevi esse post em 2008 não pude deixar de notar que as coisas não mudaram muito. Até cheguei a pensar em ir só votar para tentar tirar a Professora de lá, mas tendo em vista que o cara que gostaria que assumisse esse lugar não está mais entre nós e que gastar R$100,00 só para votar numa cidade que quero que se exploda não seria lá uma ideia muito inteligente, resolvi ficar por aqui por SP mesmo. Ainda “sequestrei” meio que sem querer (querendo) três eleitores, para passar o domingo aqui com a gente. Só fomos lá justificar, rapidinho, e voltamos para casa para curtir um domingo agradável.

Para quem acha que fiz um desserviço à democracia, em 2008, sem brincadeira, devo ter arrumado, por baixo, uns 30 votos para a atual prefeita e, uns 15 ou mais, para um dos vereadores que, pelo que me contam, também foi uma puta decepção. Isso tudo só no caminho entre a casa da minha mãe e a escola onde voto (cerca de 3 km). Numa conta idiota, a cada km, arrumei 10 votos para ela, sem ganhar nada em troca, só para tirar um governo a la Maluf e confiando num projeto de mudança.

Enfim, hoje vejo que não mudou praticamente nada, pode não ter o governo a la Maluf, mas é algo que foi pouco, mas bem pouco, comparado ao que esperávamos. Se tinha um pouco de raiva e até queria fazer campanha contra para tirá-la, achei melhor simplesmente ficar em casa, não me comprometer com nada em relação a Guarujá (sério, o rival dela, com chances, é o cara que fiz questão de tirar de lá), logo, era a boa e velha discussão de “Quem é o menos pior: a que deixou a desejar ou o Maluf caiçara? Preferi ficar de fora disso.

Vendo as pesquisas e levantamentos finais, estou até torcendo para ela resolver logo, pois não quero ter que sair de casa para justificar de novo, já que não tenho a mínima vontade de descer a serra só para escolher um prefeito de uma cidade que não é mais minha.

Na verdade, estou aqui digitando lamentando de não ter entrado nas discussões Serra x Haddad x Russomanno, essa sim, uma eleição que pode mudar muita coisa, inclusive no cenário nacional.

Para encerrar, espero que os poucos leitores que sobraram, tenham escolhido o candidato que melhor lhes representa e, mais importante, o cobrem depois. Isso sim, uma coisa que tem que mudar logo nesse Brasil.

3 thoughts on “Eleições 2012 – Passei longe da festa da democracia

  1. Agora você quer que se exploda né? Ficou de dodói porque não arrumaram um cabide, como seus coleguinhas da Unaerp arrumaram né Bonilha? Hipocrisia, a gente vê por aqui…

    • Caro Trolololol, que desconfio fortemente de quem seja, para seu governo, fui convidado para trabalhar nesse governo e no anterior, recusando ambas as propostas. Como acho que você me conhece, também deve saber que poderia ter sido funcionário público concursado, o que também recusei, de tanto saco cheio que estava de Guarujá. Se você acha que eu falo essas coisas por conta de ressentimentos e rabo preso, mostra o quanto você, que sim, tem medo de se identificar, se equivale ao que de pior tem na cidade, que se esconde para poder atacar os outros e levantar essas hipóteses.
      Quanto aos meus coleguinhas da Unaerp, se estão lá, é por merecimento, não por troca de favores ou algo do tipo (talvez alguns, mas duvido).
      Enfim, é isso, se quiser se identificar, fica mais fácil o debate.
      Abs.
      MVB

  2. Política no Guarujá é mesmo um meio sujo. Está rodando por aí vídeos de nível bem baixo com imagens de supostos membros da prefeitura fazendo sexo, conversas grampeadas sobre assassinatos… já o que é importante para a cidade mesmo, nada.

    Em nome dos velhos tempos deixo um “auto-merchandise”, andei mexendo no blog e atualizei lá, (sim tirei o layout feioso também rs!): http://franciscoprado.com.br/2012/10/14/sobre-o-pollus-um-jogo-de-acao-casual-que-estou-desenvolvendo/ abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *